Por Esmael Morais

Ricardo Salles militariza Ministério do Meio Ambiente

Publicado em 19/04/2019

A área ambiental do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) passa por um processo de militarização. Do alto escalão do Ministério do Meio Ambiente (MMA) até as diretorias do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), postos-chave estão agora sob a tutela de oficiais das Forças Armadas e da Polícia Militar.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro despenca no Rio, diz Paraná Pesquisas

A orientação dada pelo presidente e levada a cabo pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é a de acabar com o “arcabouço ideológico” no setor. Já são pelo menos 12 militares.

O gabinete Salles conta com oito militares em cargos comissionados. Os cargos envolvem desde a chefia de gabinete até a ouvidoria e comunicação institucional da pasta.

O ICMBio está sendo presidido por um militar. Na sede do Ibama, duas diretorias já são comandadas por militares. As superintendências estaduais do órgão também serão ocupadas por militares.

Paralelamente, o governo discute a possibilidade de fusão do Ibama e do ICMBio, o que poderia ocorrer no segundo semestre.

Com informações do Estadão