Requião condena o confisco da poupança previdenciária dos brasileiros

Compartilhe agora!

Roberto Requião (MDB-PR) foi ao Twitter, neste sábado (6), para mais uma vez condenar o confisco da poupança previdenciária dos brasileiros pretendido por Jair Bolsonaro (PSL).

“Capitalização na Previdência é o mesmo que o Governo dizer: Se vira, malandro! Cada um que cuide de si! Ou seja, omissão frente aos cidadãos e privatização do Estado”, retuitou o ex-senador paranaense texto de Frei Betto.

Embora seja um tema bastante complexo para ser entendido pelo cidadão médio, em 2015, houve uma bem-sucedida campanha contra o confisco da poupança previdenciária dos servidores públicos do Paraná — a ParanáPrevidência — que culminou com grandes mobilizações no estado e derrota do ex-governador Beto Richa (PSDB) nas urnas. Ele não conseguiu eleger-se ao Senado.

A previdência pública solidária com contribuição tripartite (trabalhador, empresa e governo), como ela é hoje, é superavitária. Já o regime de capitalização proposto por Bolsonaro exime patrão e ente público e confisca a poupança previdenciária para alimentar o monstro da dívida pública.

A auditora fiscal aposentada da Receita Federal, Maria Lúcia Fattorelli, concorda com Requião. Ela tem repetido como um mantra que “o que tem gerado dívida pública não tem nada a ver com Previdência, ou outros investimentos sociais, mas sim, com o custo da política monetária do Banco Central.”

Compartilhe agora!