Por Esmael Morais

Pastoral da Terra alerta Papa Francisco sobre o trabalho escravo no Brasil

Publicado em 14/04/2019

O frei Xavier Plassat, coordenador da campanha nacional da Comissão Pastoral da Terra para a erradicação do trabalho escravo, pediu ao papa Francisco que acompanhe de perto a situação do Brasil para evitar retrocessos.

Segundo o Blog do Sakamoto no UOL, Xavier disse ao Papa que a política de combate ao trabalho escravo precisa ser reforçada, e não atacada ou reduzida, como ameaça o presidente Bolsonaro.

O frei dominicano contou a Francisco que, desde 1995, o país tem construído uma política consistente contra a escravidão contemporânea, tendo libertado mais de 53 mil pessoas.

A comissão, ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é a mais antiga e importante instituição no atendimento a vítimas e sobreviventes da escravidão contemporânea e do tráfico de pessoas no Brasil.

Durante sua campanha eleitoral, Bolsonaro propô revogar a principal legislação de combate ao trabalho escravo no país, que prevê o confisco de propriedades flagradas com esse tipo de mão de obra e sua destinação à reforma agrária e à habitação popular.

Enquanto isso, a bancada ruralista, que o apóia, defende leis que afrouxam o conceito de trabalho escravo.

O encontro de Xavier Plassat com o Papa ocorreu na Conferência Internacional sobre o Tráfico de Seres Humanos, organizado pela Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, realizado de 9 a 11 de abril.

As informações são do Blog do Sakamoto.