Por Esmael Morais

Na véspera do 1º de Maio, fracassam golpes na Venezuela e no Brasil

Publicado em 30/04/2019

Deu ruim para os golpistas nesta véspera de 1º de Maio, Dia do Trabalho, na Câmara dos Deputados (Brasília) na Venezuela (derrubada de Maduro).

Nesta terça (30), em Caracas, o pangaré golpista Juan Guaidó mais uma vez bateu na trave. Não conseguiu arregimentar apoio popular nem militar para derrubar o presidente constitucional Nicolás Maduro.

Em Brasília, também hoje, a Comissão Especial não reuniu quórum para iniciar as 11 audiências públicas necessárias antes de a matéria seguir para votação no plenário.

LEIA TAMBÉM
Milhares de venezuelanos fazem ‘vigília’ em torno do Palácio Miraflores em Caracas

O presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), minimizou o desinteresse de seus pares com a reforma da previdência afirmando que ‘o mais importante é conseguir os 308 votos mínimos’ para aprovar o fim da aposentadoria.

“Não adianta votar na comissão sem a garantia no plenário”, declarou Ramos.

A perspectiva é que a matéria entre em pauta no plenário somente no segundo semestre, após o recesso das festas de São João.

Pelo sim pelo não, amanhã cedo trabalhadores prometem tomar as ruas do país contra o golpe da reforma da previdência.