Por Esmael Morais

Guedes desautoriza Bolsonaro: ‘decisão não muito razoável’

Publicado em 13/04/2019

O ministro da Economia, Paulo Guedes, desmente a tese de que é o cachorro quem balança o rabo. Provou neste sábado (13) ao contrário: é o rabo quem balança o cachorro.

Dito isto, Tchutchuca — como é chamado por trás o ministro — desautorizou hoje o presidente Jair Bolsonaro ao classificar o cancelamento do aumento de 5,74% no preço do diesel de decisão ‘não muito razoável’.

LEIA TAMBÉM
“Lulaço” faz tremer a rodoviária de São Paulo; assista

Dos Estados Unidos, onde se encontra em conchavos com especuladores e agiotas do FMI, Guedes falou em “consertar” a intervenção na Petrobras, qual seja, na volta ao Brasil ele deverá enquadrar Bolsonaro e reajustar o preço do combustível.

O ministro confirmou que seu chefe não entende de economia e por isso Bolsonaro agiu sob pressão dos efeitos políticos [do aumento no diesel].

O diabo é que os aumentos abusivos nos derivados de petróleo — diesel, gasolina, gás de cozinha, etc. — tem potencial para fomentar a greve nacional de caminhoneiros prevista para o mês de maio.

Paulo Guedes quer garantir o lucro dos sócios privados da estatal, vendendo os produtos em dólar, e que se danem os consumidores brasileiros, que ganham em real.