Por Esmael Morais

Folha mais perdida que ‘charuto na boca de banguela’ em editorial sobre economia

Publicado em 01/04/2019

A Folha mostrou toda limitação que tem em seu editorial sobre economia neste 1º de abril — o “Day Bolsonaro”.

O jornalão critica Paulo Guedes que promete para “talvez” 2020 algum crescimento econômico, o editorial mas não sabe explicar porque isto poderá acontecer.

A Folha ancora a ideia de desenvolvimento à reforma da previdência, isto é, no fim da aposentadoria. É que os banqueiros mais querem.

LEIA TAMBÉM
Gleisi Hoffmann: Por que o Brasil não cresce

Portugal provou recentemente que é possível crescimento econômico aumentando salários, pensões e aposentadorias. Os lusos levaram a sério a velha máxima de John Mainard Keynes segundo a qual “a longo prazo todos nós estaremos mortos”.

Dito isto, a Folha escorrega feio ao dizer que há “investimentos” em infraestrutura como “leilões de aeroportos, terminais portuários e, agora, de um trecho que completará o traçado da Ferrovia Norte-Sul.” Que bobagem. Isto não pode ser chamado de “investimentos” nem aqui nem na China.

Privatização, leilão et caterva não são investimentos. Não passam de transferência de ativos para apropriação privada do resultado de um patrimônio constituído com dinheiro de todos nós — a res publica. A médio prazo, muito provavelmente, esses vendilhões estarão todos presos por crime de lesa-pátria.