Folha aposta na ‘Ditabranda’

A Folha de S. Paulo parece apostar numa ‘Ditabranda’ encabeçada pelo vice e general Hamilton Mourão (PRTB), a julgar pela edição de hoje (12).

Com base no Datafolha, o jornalão cravou nesta sexta que “Cresce confiança dos brasileiros nas Forças Armadas” e que “45% dos entrevistados apontaram os militares como muito confiáveis —em junho do ano passado, esse índice era de 37%.”

Entretanto, a pesquisa não leva em consideração os 80 tiros do Exército na execução do músico Evaldo dos Santos Rosa, 51 anos, assassinado domingo (7) por membros das forças armadas. O levantamento foi realizado nos dias 2 e 3 de abril.

LEIA TAMBÉM
#AmigoDoAmigo é fake news nas vésperas de tribunais soltarem Lula

Não é raro a Folha em particular –e a velha mídia em geral– tentar mostrar Mourão como a parte mais “consequente” do tresloucado governo Bolsonaro.

Sobre a ‘ditabranda’

A Folha reedita a “ditabranda” que lançara em 17 fevereiro de 2009.

Na época, o jornalão paulistano ao comparar os modelos de democracia na América Latina afirmou que as chamadas ‘ditabrandas’ -caso do Brasil entre 1964 e 1985- partiam de uma ruptura institucional e depois preservavam ou instituíam formas controladas de disputa política e acesso à Justiça.

A Folha dissera que no Brasil houve uma “ditadura + branda= ditabranda” e torceu o nariz para os mortos, torturados e perseguidos políticos no país em 21 anos de horrores.

Comentários encerrados.