Por Esmael Morais

Venezuela condena ameaça de guerra vinda de Brasil e Estados Unidos

Publicado em 19/03/2019

O chanceler de Venezuela, Jorge Arreaza, condenou nesta terça (19) a ameaça de guerra vinda do encontro dos presidentes Jair Bolsonaro (Brasil) e Donald Trump (Estados Unidos).

Os dois mandatários tiveram hoje reuniões secretas sobre — o que se especula — uma intervenção militar no país caribenho para destituir o presidente constitucional Nicolás Maduro.´

LEIA TAMBÉM
“Bolsonaro busca fôlego na Casa Branca” depois acumular fracassos no Brasil, diz Libération

As pretensões beligerantes de Bolsonaro e Trump mereceram o repúdio da chancelaria venezuelana que considerou “grotesco” que ambos os presidentes façam apologia à guerra em flagrante violação à ONU.

O governo bolivariano expressou sua preocupação pela influência belicista norte-americana sobre o Brasil e as teses supremacistas de Donald Trump sobre Jair Blsonaro. “Sem dúvida, ambos presidentes refletem as ideias mais retrógradas para os povos da região, assim como para a paz e segurança mundial”, diz o comunicado.

O texto enfatiza que novamente a Venezuela denuncia as ameaças de intervenção militar ante a comunidade internacional. “Nenhuma aliança neofascista logrará êxito sobre a vontade independente e soberana do povo venezuelano”, afirma o governo de Maduro.

Com informações da Telesur.