Requião chega aos 78 anos como outsider na política brasileira

Publicado em 4 março, 2019
Compartilhe agora!

O eterno senador Roberto Requião (MDB-PR) completa 78 carnavais nesta terça-feira (5), qual seja, setenta e oito anos de vida.

O ex-governador do Paraná nem cogita pendurar as chuteiras da política, pelo contrário.

Recentemente, dirigentes do PT foram a sua casa, em Curitiba, para convidar o ainda emedebista a ingressar na legenda. Ficou de analisar a deferência.

LEIA TAMBÉM
A pergunta de Requião: e a facada, onde foi?

A idade pode atrapalhar projetos políticos futuros? O ex-parlamentar costuma dizer que o diabo é temido não pela feiura, mas sim pela experiência adquirida ao logo da existência da humanidade.

“Me sinto jovem, com energia de 30 e tesão de 20 anos”, repetiu certa feita ao Blog do Esmael o mesmo mantra que Lula costumava dizer a petistas que o considerava velho demais para disputar outra vez a Presidência da República.

Derrotado ao Senado pelo “segundo voto”, em 2018, Requião foi sondado para disputar a Prefeitura de Curitiba na eleição do ano que vem já sob a estrela do PT. Ele faz segredo sobre essa possibilidade que, segundo um barbudo do PT, é cada vez mais palpável.

Requião chega aos 78 como outsider na política brasileira, haja vista que ele não se filia às alas do MDB que se entregaram a Michel Temer, na gestão passada, e agora ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seu tresloucado governo.

“Requião, você é o nosso Bernie Sanders do Brasil”, comparou há cerca de 3 anos o ex-senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

O senador estadunidense, embora seja bastante popular na base, perdeu eleição interna no Partido Democrata há 2 anos e a possibilidade de concorrer com Donald Trump. Sem Barnie Sanders, o atual presidente norte-americano bateu fácil nas urnas Hillary Clinton em 2016.

Compartilhe agora!