Por Esmael Morais

Prisão de Temer pode viabilizar CPI da Lava Jato no Congresso Nacional

Publicado em 21/03/2019

As prisões do ex-presidente Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco, nesta quinta (21), podem ter como efeito colateral a viabilização da CPI da Lava Jato no Congresso Nacional.

Moreira é sogro do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e talvez isso explique parte de seu nervosismo com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, acerca do projeto punitivista enviado à Casa.

LEIA TAMBÉM
“Prisão de Temer afasta o foco das trapalhadas de Bolsonaro”, diz Requião

As motivações do PT e de Maia, bem como do MDB, podem ser distintas entre si, mas eles convergem num ponto: a Lava Jato converteu-se numa ferramenta de chantagem e de atuação política.

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), por exemplo, sugeriu a instalação de uma comissão de investigação focada na ilegalidade de um acordo (que se tentou manter secreto) entre a Lava Jato, os Estados Unidos e a Petrobras para a criação de uma fundação privada destinada a gerir R$ 2,5 bilhões oriundos de uma multa aplicada à estatal.

“A Força-Tarefa da Lava Jato, sob comando do procurador Deltan Dallagnol, indicam a prática de crimes de formação de quadrilha, de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro”, justificou o parlamentar petista.