Para acabar com “laranjas”, partido de Bolsonaro quer excluir mulheres da política

Para integrantes do PSL, partido do presidente Bolsoanro, que está envolvido em fraudes com candidaturas laranjas, a solução seria acabar com a cota para mulheres.

LEIA TAMBÉM: Pelo ritmo, Bolsonaro terminará 2019 com zero de aprovação

O líder do PSL no Senado e presidente da legenda em São Paulo, Major Olímpio, afirmou ao jornal Folha de S.Paulo que a cota de gênero fez com “mulheres sem grande potencial eleitoral servissem justamente de guarda-chuva para as campanhas dos marmanjos”.

Ele é autor do projeto que acaba com o fundo eleitoral.

Já o projeto que acaba com a cota de mulheres foi apresentado pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA). “Parto do princípio que as mulheres querem ter igualdade com os homens. Se querem igualdade, não precisa ter cota”, afirma Coronel.

As informações são da Carta Capital.

Comentários encerrados.