Por Esmael Morais

Moro lidera ‘Programa Fumo no Povo’ do governo Bolsonaro

Publicado em 27/03/2019

Que fase! O ex-juiz Sérgio Moro, outrora ícone do fetiche do combate à corrupção, parece que agora se associou ao lobby do tabaco no Brasil.

Nesta semana, o ministro da Justiça defendeu a redução de impostos para “diminuir o consumo” de produtos estrangeiros “de baixa qualidade” e os riscos à saúde deles decorrentes.

LEIA TAMBÉM
CNJ abre processo contra juíza Gabriela Hardt por conluio na lava jato

O diabo é que a medida pode até “diminuir” o consumo dos contrabandeados, mas, além de o Estado brasileiro abrir mão de receita, aumentará o consumo do cigarro produzido localmente – e aumentar os riscos à saúde dele decorrente.

O lobby do tabaco tem o dedo do empresário Fábio Aguayo, amigo dileto de Moro, autoproclamado prefeito de Curitiba. Aliás, desde 2009 o presidente do SindiAbrabar — entidade que recentemente contou com a ajuda do ex-juiz para conseguir a carta sindical — luta para afrouxar as leis antifumo no país.

Talvez não seja lobby, se altruisticamente o ministro Sérgio Moro estiver aproveitando para sugerir a Jair Bolsonaro um programa denominado “Fumo no Povo”, em virtude da quantidade de sacanagens que o governo vem preparando contra os brasileiros — a começar pela reforma da previdência (fim da aposentadoria para os mais pobres).