MBL reforça segurança neste sábado temendo protesto em Curitiba

O Movimento Brasil Livre (MBL) realiza seu 3º congresso nacional em Curitiba, neste sábado (23), sob forte esquema de segurança temendo protesto.

Durante os preparativos do evento houve diversas manifestações contrárias ao grupo protofascista, principalmente na Universidade Positivo (UP), local do encontro de hoje.

“O MBL atuou diretamente nas últimas eleições, seja no lançamento de candidatos à eleição ou no apoio partidário, divulgando notícias falsas, discursos de ódio
e, em destaque, no âmbito da educação, incitou a censura da liberdade de cátedra dos/das professores/as, bem como a autonomia universitária e o pluralismo de ideias, sendo contrário a Constituição Federal de 1988”, diz trecho de um manifesto assinado por 119 alunos do curso de Direito da UP, que não gostaram de ver sua graduação vinculada ao intolerante grupo.

LEIA TAMBÉM
Lava jato cometeu ilegalidade na prisão de Michel Temer

O reforço da segurança no campus Ecoville, no bairro Campo Comprido, onde ocorre o congresso do MBL faz sentido, pois, ao longo desta semana, se especulou que militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e da Vigília Lula Livre poderão comparecer à atividade da extrema-direita.

Na programação do evento deste sábado, além da presença do senador Orovisto Guimarães (PODE-PR), dono da Universidade Positivo, estão confirmados os parlamentares Paulo Eduardo Martins (PSC), Homero Marchese (PROS-PR), Fernando Holiday (DEM-SP) e Arthur Mamãefalei (DEM-SP); Renan Santos, Pedro D’eyrot, Eric Balbinus, Alexandre Santos, Os Hipócritas e Zanfa Capinaremos.

Em tempo: o MBL bateu panela em favor de Michel Temer, em 2016, e agora finge que não tem responsabilidade com o atual estado de coisas no país.

Comentários encerrados.