Maduro: apagão na Venezuela foi provocado por ataque cibernético dos Estados Unidos

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou na segunda-feira (11) como foram os ataques cibernéticos perpetrados contra o sistema elétrico no país.

“A Venezuela é talvez o primeiro país do mundo a ser vítima da tecnologia de ataque cibernético dos EUA contra um sistema elétrico”, disse o presidente.

O presidente bolivariano garantiu que os danos causados ​​ao sistema de distribuição de energia elétrica foram causados ​​por tecnologia disponível apenas para o governo dos Estados Unidos (EUA).

LEIA TAMBÉM
Coordenador da FUP processa Deltan Dallagnol por acordo lesivo à Petrobrás

Ataque ao sistema elétrico em 3 fases

Do Palácio de Miraflores, sede do governo, o presidente indicou que os ataques contra o sistema foram realizados em três fases:

– O primeiro foi contra o cérebro do sistema informatizado da Corporación Eléctrica Nacional (Corpoelec) na Usina Hidrelétrica Simón Bolívar, localizada na barragem de El Guri, no estado de Bolívar (sul); e o ataque cibernético de fora para o cérebro que permanece em Caracas (capital). ”

– O segundo ataque foi via eletromagnética, “que por dispositivos móveis interrompe e reverte os processos de recuperação”, afirmou.

– A terceira fase foi “através da queima e explosão de subestações elétricas. Por volta das 2 horas da manhã houve uma explosão devido a uma sabotagem à subestação do Alto Prado (estado de Miranda) para derrubar toda a eletricidade de Caracas “.

Compromisso com o povo

“Eu sei o que vocês têm passado, compatriotas, eu admiro a bravura, a coragem, a consciência superior, a paciência, que o homem e a mulher desempenham para levar adiante as rédeas de sua casa”, disse ele.

O chefe de Estado disse que há elementos suficientes dentro do ataque provocados para que os venezuelanos reflitam sobre quem é o responsável direto pelo que aconteceu.

Além disso, denunciou que foram cometidos crimes graves contra os direitos humanos da população, contra a paz e a estabilidade, bem como uma traição ao país.

“O Governo está trabalhando para atender a todas as necessidades de alimentos, água, segurança, combustíveis internos, saúde, em meio à emergência que estamos enfrentando”, assegurou.

Da mesma forma, explicou que foram presas duas pessoas que tentaram sabotar o sistema de comunicações de El Guri e instaram a Justiça venezuelana a determinar quem eram os autores intelectuais dos ataques.

“Chegou a hora da resistência ativa na comunidade, informando, ajudando, promovendo ações de solidariedade entre famílias e comunidades”, insistiu o presidente Maduro.

Assista ao vídeo:

Com informações da TeleSur

Comentários encerrados.