Lava jato pede nova prisão de Temer e Moreira Franco

A lava jato tenta recobrar energias após o revés que levou semana passada no STF.

A força-tarefa liderada por Deltan Dallagnol adianta que irá recorrer da decisão do desembargador Ivan Athié, do TRF2, que mandou soltar o ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Moreira Franco.

Em outra arena, os procuradores de Curitiba buscam reaver o fundo privado de R$ 2,5 bilhões com dinheiro da Petrobras.

LEIA TAMBÉM
Rodrigo Maia livra Moro de se explicar na Câmara

Voltemos ao caso Temer-Moreira Franco.

De acordo com o Ministério Público Federal, dentre os motivos para o novo pedido de prisão da dupla, estaria uma ligação na madrugada via WhatsApp.

“Em todo o período [86 dias de registros analisados] que foi encontrado no celular, não foi encontrada nenhuma mensagem dos dois interlocutores no período da madrugada, apenas no dia da operação (…) É um possível indício de vazamento. Não é descartada a possibilidade que eles tenham conversado um pouco antes da operação [por outro aplicativo]”, revelou o procurador Eduardo El Hage, da Operação Descontaminação.

Para o procurador do MPF, Moreira Franco e Temer sabiam antecipadamente que seriam presos pela lava jato.

“Vamos lutar na Justiça para que o ex-presidente Temer retorne à prisão”, completou Hage.

Aqui cabe um parêntese. O Blog do Esmael avisou dezesseis dias antes que Temer seria preso. Quem vazou isso? O próprio Deltan Dallagnol, que até publicou um vídeo sobre sua intenção.

O MPF denunciou ontem (29) Temer, Moreira Franco e outras 12 pessoas pelos crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro. A justiça ainda precisa dizer se aceita ou não a ação.