Dispara rejeição e desaprovação a Bolsonaro, diz pesquisa

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) vê aumentar a rejeição a seu governo e, consequentemente, a queda de sua aprovação.

De acordo com a pesquisa XP/Ipespe, divulgada nesta segunda-feira (18), 24% dos mil entrevistados consideram a gestão do capitão ruim ou péssima, percentual que, em fevereiro, era de 17% e, em janeiro, 20%. Por outro lado, 37% avaliam o governo como ótimo e bom, quando nos dois meses anteriores essa classificação era de 40%. Há ainda 32% que julgam como regular.

O levantamento compara os números com a primeira gestão da presidenta Dilma Rousseff (PT). O nível de “ótimo” e “bom” atribuído à gestão Bolsonaro em março é mais baixo que o registrado por outras pesquisas durante a primeira gestão da petista.

LEIA TAMBÉM
Gleisi sobre a visita de Bolsonaro à CIA: Isso deve ter sido ideia do Moro

Em janeiro, 63% dos entrevistados esperavam que Bolsonaro faria uma gestão ótima ou boa. O percentual caiu para 60% em fevereiro e agora está em 54%. Já o grupo dos que esperam um mandato ruim ou péssimo passou dos 15% registrados em janeiro e fevereiro para 20% agora, neste mês.

O número de pessoas que acha o noticiário que envolve o governo e o presidente Jair Bolsonaro mais desfavoráveis à gestão é de 43%. Em fevereiro esse percentual estava em 24%.

Por outro lado, caiu o número de quem acredita que as notícias veiculadas recentemente em televisão, jornais, rádios e na internet sejam mais favoráveis ao governo. Passou de 34% para 21%.

A pesquisa XP/Ipespe foi feita por telefone entre os dias 11 e 13 de março. E ouviu mil entrevistados em todas as regiões do país. O nível de confiança é de 95,45%.