Descoberto arsenal de 117 fuzis M16 na casa de amigo de PM suspeito por morte de Marielle

Alexandre Motta Silva, de 47 anos, responsável pelo apartamento onde foram encontradas diversas caixas com 117 fuzis de uso restrito, na manhã desta terça-feira (12), no Méier, na Zona Norte do Rio, está preso na Delegacia de Homicídios. Ele é amigo de longa data de Ronnie Lessa, PM reformado, detido durante a madrugada, na Operação Lume.

Ronnie é apontado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio como o assassino de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes . A apreensão foi a maior da história da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

De acordo com o advogado de defesa, Leonardo da Luz, Alexandre é amigo de infância de Lessa. Em depoimento informal na DH, ele contou que atendeu a um pedido do amigo para guardar as caixas, mas não sabia o conteúdo. Motta contou ainda que recebeu a orientação do amigo para não abrir as caixas.

“Eles são amigos há mais de 20 anos. Na inocência, atendeu a um pedido de um amigo. Ficou muito surpreso com a chegada dos policiais na casa dele hoje (nesta terça-feira). Chegou a chorar enquanto conversávamos – disse o advogado, ressaltando que ele tem a tutela do irmão deficiente, disse o advogado”.

Alexandre foi preso em flagrante por posse de arma de uso restrito e vai aguardar audiência de custódia.

– Ele nao tem nenhuma relação com o episódio da vereadora (Marielle Franco) – defendeu o advogado.

No apartamento de Alexandre foram encontradas peças de 117 fuzis M-16. Os armamentos estavam desmontados, faltando apenas o cano.

Durante a operação, os investigadores também encontraram R$ 112 mil reais em espécie. Deste total, R$ 50 mil foram localizados na casa dos pais de Lessa e R$ 62 mil no próprio carro do PM. Tambem foram apreendidos 500 munições e três silenciadores.

A Polícia Civil tambem investiga se Lessa atuava como traficante de armas.

*As informações são do jornal Extra – Rio

Comentários encerrados.