Por Esmael Morais

Deltan Dallagnol cogita pedir demissão da força-tarefa lava jato

O procurador Deltan Dallagnol estuda a possibilidade de deixar a força-tarefa lava jato em protesto contra as três derrotas que sofreu nos últimos dias. A primeira sabugada ele levou quando a

Publicado em 16/03/2019

O procurador Deltan Dallagnol estuda a possibilidade de deixar a força-tarefa lava jato em protesto contra as três derrotas que sofreu nos últimos dias.

A primeira sabugada ele levou quando a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) anulasse o fundo privado de R$ 2,5 bilhões que a lava jato criou com dinheiro da Petrobras.

LEIA TAMBÉM
#CadeiaParaLavajateiros sobe no Twitter

Na sequência, o STF fixou a competência na Justiça Eleitoral para processar e julgar crimes comuns com conexão com os de natureza eleitoral — a exemplo do caixa dois.

Para fechar o repolho, o Supremo ainda abriu inquérito para investigar estripulias e ataques do procurador da República contra ministros daquela corte.

Deltan Dallagnol indicou que estaria a se demitir da força-tarefa ao elogiar colegas de Ministério Público Federal que pediram demissão na PGR em sua solidariedade e contra Raque Dodge que pediu ao STF que anulasse o acordo feito entre lava jato e os EUA para ressarcimento dos prejuízos de investidores na Petrobras, além, é claro, do fundo bilionário.

O PT no Congresso Nacional adiantou que quer investigação e cadeia para Deltan Dallagnol. Talvez, analisam os petistas, a “CPI da Toga” possa ser esse canal formal.