Bolsonaro diz esperar que identifiquem mandante do assassinato de Marielle

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse à jornalistas, nesta terça (12), que espera que as investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes identifiquem quem mandou matar a parlamentar.

“Espero realmente que a apuração tenha chegado de fato a esses [dois presos], se é que foram os executores, e o mais importante quem mandou matar”, declarou o presidente após encontro com o mandatário do Paraguai, Mario Abdo Benítez, no Palácio do Planalto.

LEIA TAMBÉM
URGENTE: Lava jato recua de fundo bilionário na véspera de julgamento no STF

Em uma operação conjunta, o Ministério Público e a Polícia Civil do Rio de Janeiro prenderam nas primeiras horas de hoje Ronnie Lessa, sargento da Polícia Militar da reserva, e Elcio Vieira, ex-policial militar. Um deles, o policial militar reformado Ronnie Lessa, de 48 anos, apontado como o autor dos 13 disparos que mataram Marielle e Anderson, mora no mesmo condomínio de Bolsonaro.

O presidente da República jurou hoje que só conheceu Marielle Franco depois que ela foi covardemente assassinada.

“Eu conheci a Marielle depois que ela foi assassinada. Não conhecia ela apesar de ela ser vereadora lá com o meu filho no Rio de Janeiro. E também estou interessado em saber quem mandou me matar”, disse Bolsonaro.

Comentários encerrados.