Reforma da Previdência é detalhista nas maldades e não cobra devedores, diz Enio Verri

O deputado federal Enio Verri (PT-PR) afirmou nesta sexta-feira (22) que a proposta de reforma da Previdência de Jair Bolsonaro (PSL) “é injusta e concentradora de renda”. Segundo ele, enquanto o governo é detalhista ao descrever no texto da reforma as maldades para dificultar o acesso da população à tão sonhada aposentadoria, joga apenas para o campo da possibilidade tentar reaver os valores bilionários não pagos pelos grandes devedores da Previdência.

LEIA TAMBÉM:

Vigília Lula Livre emite nota sobre decisão de desembargador do TJPR

Entre os detalhes da reforma de Bolsonaro que retira direitos do povo, o parlamentar destacou as tabelas pormenorizadas da proposta explicando o aumento no número de anos trabalhados para ter acesso à aposentadoria, à diminuição do valor do Benefício de Prestação Continuada (BPC), com possibilidade de as pessoas receberem aos 60 anos, mas somente R$ 400, e o valor integral do salário mínimo somente com 70 anos de idade.

“O que mais me surpreende, no conjunto da política, é como que o governo trata com tantos detalhes, quanto os trabalhadores irão trabalhar a mais, quanto será reduzido de seus salários, e quando se trata de cobrar dos grandes devedores, ele apenas apresenta uma carta de intenções. Ele apresenta quatro pontos onde diz que vai ‘envidar esforços’, vai ‘procurar fazer’, vai ‘tentar cobrar’ dos devedores contumazes. Ora, se nós pegarmos os sonegadores e os devedores contumazes, o valor passa dos R$ 400 bilhões”, protestou.

Para o parlamentar, o governo deveria “usar toda a sua energia para cobrar os grandes sonegadores e devedores” evitando assim atingir a população mais pobre do País.

Com informações do PT na Câmara

Comentários encerrados.