PF prede presidente da CNI por desvios no Ministério do Turismo e Sistema S

A Operação Fantoche deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (19) prendeu o presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Robson Andrade, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Ricardo Essinger e emitiu mais oito mandados de prisão temporária e 40 de busca e apreensão nos estados de PE, MG, SP, PB, DF, MS e AL.

LEIA TAMBÉM:

Delator põe Sérgio Moro no bico do corvo, conta Veja

A operação Fantoche, que conta com o apoio do Tribunal de Contas da União (TCU), visa desarticular uma suposta organização criminosa voltada para a prática de crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos.

Segundo a PF, as investigações são relativas a um grupo de empresas de fachada, sob o controle de uma mesma família, que teria desviado recursos provenientes de contratos e convênios fechados diretamente com o Ministério do Turismo e entidades do Sistema S.

A estimativa é que o grupo tenha recebido mais de R$ 400 milhões. Os contratos eram, na maioria das vezes, voltados à execução de eventos culturais e de publicidade superfaturados e/ou com inexecução parcial, diz a investigação.

As medidas foram determinadas pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco, que ainda autorizou o sequestro e bloqueio de bens e valores dos investigados.

Com informações da Folha

Comentários encerrados.