Nova condenação de Lula intensifica guerra interna pelo comando do PT

Gleisi: Aqui ninguém solta a mão de ninguém.

A nova condenação de Lula a 12 anos e onze meses, no caso sítio de Atibaia, intensificou uma guerra intestina que estava adormecida dentro do PT.

O PT já adiara seu 7º Congresso Nacional, mas a data ainda será consolidada neste fim de semana pela executiva nacional do partido.

O comando petista alegara que o adiamento se deu em virtude do início do governo Jair Bolsonaro (PSL), da necessidade de reunir forças para formar uma oposição consistente na Câmara e no Senado, etc.

Lava Jato ataca Lula temendo o Nobel da Paz, diz PT

O diabo é que as desavenças são plantadas de fora para dentro na sigla, isto é, com doses diárias de veneno disseminadas pela velha mídia.

A nova condenação nada tem de novidade, pois faz parte do estratagema para manter Lula refém político na lava jato. O script da nova sentença é o mesmo do tríplex, porém com erros mais graves no caso do sítio de Atibaia que [também] não tem nenhuma relação com a Petrobras.

O novo ataque da lava jato é sinal de desespero, haja vista que Lula está prestes a ser anunciado vencedor do Nobel da Paz; o petista pode obter habeas corpus na Segunda Turma ou no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF).

Como se vê, a luta pró e contra Lula funciona como um cabo de guerra. Um puxa daqui, outro puxa de lá.

Talvez o remédio que o PT poderá propor, em seu congresso nacional, seja a mobilização total pela liberdade de Lula, o que seria acertadíssimo.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, tem repetido sobre sua obsessão por libertar Lula: ‘Aqui ninguém solta a mão de ninguém.’

A questão econômica, caro leitor, nada tem a ver com torcida a favor ou contra Bolsonaro. São bases concretas. O demoníaco governo confirmou sua preferência pelos bancos e especuladores, retirando direitos como a aposentadoria, em detrimento do povo brasileiro.

Comentários encerrados.