Por Esmael Morais

MPF pede 80 anos de prisão para Paulo Preto por desvios de R$ 7 mi no Rodoanel

Publicado em 07/02/2019

O Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, a 80 anos de prisão por desvios de verbas na construção do Rodoanel Sul, durante o governo de Geraldo Alckmin (PSDB), um trecho do anel viário que circunda a região metropolitana de São Paulo, de acordo com o jornal O Globo. 

O MPF também pediu que sejam considerados culpados a filha de Paulo, Tatiana Cremonini, e dois ex-funcionários da Dersa. Nesta investigação, Paulo, operador financeiro do tucanato paulista, é acusado de participar de três crimes que envolvem o desvio de R$ 7 milhões em verbas de indenização para famílias que viviam no traçado da estrada.

Os procuradores pediram, para Paulo Preto, penas “em patamar próximo ou equivalente ao máximo”, além do acréscimo de um terço porque ele ocupava cargo de direção na empresa estatal. Por isso, a pena pode ultrapassar 80 anos.