Juiz que restringiu atividades da Vigília Lula Livre é primo da mulher de Moro


O desembargador Fernando Paulino da Silva Wolff Filho, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), que restringiu manifestações e reuniões no entorno da vigília Lula Livre, que ocorrem em terreno particular, é primo de Rosângela Wolff Moro. A advogada é casada com o ministro da Justiça e Segurança Pública do governo de Jair Bolsonaro (PSL), o ex-juiz federal de primeira instância Sérgio Moro.

Assim como o marido, que tem um desembargador no Tribunal de Justiça do Paraná – Hildebrando Moro, primo do sogro – Rosângela Maria Wolff de Quadros Moro também tem um desembargador na família.

De acordo com o professor associado do Departamento de Sociologia e do Programa de pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Ricardo Costa de Oliveira, a procuradora da Federação das Apaes do Estado do Paraná descende da grande família política Macedo do Paraná.

A coordenação da Vigília Lula Livre informa que a decisão restritiva do desembargador não afeta o movimento, que segue no mesmo local de sempre – um terreno privado –, “na luta pela democracia, pela liberdade e em solidariedade ao presidente Lula”. O movimento mantém ainda um canal na internet para receber contribuições de apoiadores do ex-presidente.

Em sua pesquisa sobre genealogias políticas , ele aponta que Rosângela é prima dos desembargadores Haroldo Bernardo da Silva Wolff e Fernando Paulino da Silva Wolff Filho.

Entre outros de seus primos estão o empresário Luiz Fernando Wolff de Carvalho, da Triunfo e Econorte, construtora e do ramo de pedágios. É prima distante de Rafael Greca de Macedo e de Beto Richa. “A importância da família Macedo está presente no empresariado, na história da Associação Comercial do Paraná, nos inúmeros desembargadores e presidentes do Tribunal de Justiça (muitas vezes referidos como a poderosa “macedônia”), na universidade, na prefeitura e em várias outras instituições”, aponta Oliveira.

*Com informações da RBA