Jean Wyllys vai denunciar governo Bolsonaro durante conferência internacional em Portugal

O ex-deputado Jean Wyllys, do PSOL, vai descer a borduna no governo de Jair Bolsonaro no fim deste mês (26 de fevereiro) durante conferência internacional na Universidade de Coimbra, em Lisboa, Portugal.

Eleito para o terceiro mandato de deputado federal pelo Rio de Janeiro, Wyllys renunciou ao cargo antes mesmo de assumir alegando que ele e sua família corriam risco de morte.

LEIA TAMBÉM
Centrais sindicais estudam greve geral contra reforma da Previdência

O ex-parlamentar aponta o dedo para o clã Bolsonaro, que, segundo a Folha, o PSOL e o Ministério Público, integra uma organização criminosa por meio de milícias privadas.

De acordo com a Universidade de Coimbra, Jean Wyllys abordará o tema “Discursos de ódio e fake news da extrema direita e seus impactos nos modos de vida de minorias sexuais, étnicas e religiosas – o caso do Brasil.”

No dia seguinte, 27 de fevereiro, o psolista ainda explicará ao mundo por que se exilar do Brasil — referindo-se à sua própria recente experiência.

Além do ex-deputado brasileiro, haverá uma mesa para debater com os seguintes acadêmicos portugueses: Ana Cristina Santos, Boaventura de Sousa Santos e Bruno Sena Martins (CES).

A organização do evento na Universidade de Coimbra compete ao programa de doutoramento “Human Rights In Contemporary Societies”, com apoio de projetos de investigação e da Fundação José Saramago.

Comentários encerrados.