General Heleno não quer falar sobre a espionagem contra a Igreja

O general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional do governo Bolsonaro (PSL), disse que não quer ir à Câmara falar sobre a espionagem do GSI contra a Igreja Católica.

LEIA TAMBÉM: Flávio Dino: espionagem do governo Bolsonaro contra Igreja Católica é um escândalo

O general esteve no velório do jornalista Ricardo Boechat nesta ter-feira (12) e disse à imprensa que não iria à Câmara se fosse convidado, só se fosse obrigado a ir.

Ele não quer comentar as ações da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) de espionagem contra membros da Igreja Católica.

LEIA TAMBÉM: Paulo Teixeira: Vou representar o general Heleno por crime improbidade administrativa

Um evento está causando calafrios no general. É o Sínodo sobre a Amazônia; que é um ciclo de debates com lideranças da Igreja de todo o mundo.

O Sínodo vai discutir a realidade de índios, ribeirinhos e demais povos da Amazônia. Também serão debatidos o problema do desmatamento, as mudanças climáticas e os conflitos de terra na região.

O General Heleno afirmou que possíveis críticas vindas do Vaticano seriam interferência em assuntos internos do Brasil.

Mas esse é o mesmo governo que ameaça invadir a Venezuela. Dois pesos, duas medidas. 

Comentários encerrados.