Por Esmael Morais

Flávio Bolsonaro ganha cargo na mesa diretora do Senado

Publicado em 06/02/2019

O Senado elegeu na tarde desta quarta-feira (6) sua mesa diretora, que incluirá o recém-eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), envolvido em uma investigação do Ministério Público fluminense por sua relação com o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Dos 81 senadores, 72 votaram na chapa única, que tem Antonio Anastasia (PSDB-MG) como 1º vice-presidente, Lasier Martins (Pode-RS) como 2º vice e Sérgio Petecão (PSD-AC) como 1º secretário. Houve ainda dois votos contrários e três abstenções.

Na sequência da votação, Eduardo Gomes (MDB-TO) foi eleito 2º secretário. O filho mais velho do presidente da República será o 3º secretário e Luis Carlos Heinze (PP-RS), o 4º. A eleição incluiu ainda os suplentes. 

Bolsonaro filho chegou a pedir foro privilegiado e obteve liminar no Supremo Tribunal Federal (STF). Na última sexta-feira (1º), no entanto, o ministro Marco Aurélio Mello negou o pedido, determinando que as investigações fossem retomadas pelo Ministério Público. Ontem, o promotor Claudio Calo, escolhido para conduzir a investigação, declarou suspeição e decidiu não assumir o caso. 

O Senado também definiu os líderes partidários. Confira os nomes:

PSC: Zequinha Marinho (PA)

PRB: Mecias de Jesus (RR)

PR: Jorginho Mello (SC)

PSB: Jorge Kajuru (GO)

Rede: Randolfe Rodrigues (AP) 

PPS: Eliziane Gama (MA)

Pros: Telmário Mota (RR)

PSL: Major Olimpio (SP)

PDT: Weverton (MA)

PP: Daniella Ribeiro (PB)

PT: Humberto Costa (PE)

DEM: Rodrigo Pacheco (MG)

Pode: Alvaro Dias (PR)

PSDB: Roberto Rocha (MA)

PSD: Otto Alencar (BA)

MDB: Eduardo Braga (AM)

*Com informações da Agência Senado