Por Esmael Morais

DEM, principal aliado de Bolsonaro, comanda Congresso Nacional

Publicado em 02/02/2019

Os Democratas (DEM) saíram fortalecidos com as vitorias de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na Câmara de Deputados na sexta-feira (1) e de Davi Alcolumbre (DEM-AP) no Senado neste sábado (2), depois de uma tumultuada e confusa sessão.

A vitória de parlamentares aliados nas duas casas assegura as condições políticas para o governo Bolsonaro realizar as reformas impopulares e de redução de direitos que pretende executar, como a Reforma da Previdência.

Os presidentes eleitos da Câmara dos Deputados e do Senado terão o poder de definir as pautas e o ritmo de votação. Além disso, os postos também são considerados estratégicos porque, entre as atribuições dos presidentes, está a de decidir sobre a abertura de comissões parlamentares de inquérito, as CPIs, que podem, conforme o assunto, causar embaraços ao Palácio do Planalto.

No caso do presidente da Câmara, também compete a ele a abertura de processos de impeachment de presidentes da República.

Os eleitos ocuparão ainda um lugar na linha sucessória da Presidência da República. O presidente da Câmara é o segundo na sucessão. O do Senado, o terceiro.