Por Esmael Morais

Cineasta brasileiro denuncia prisão política de Lula no Festival de Berlim

Publicado em 09/02/2019

O cineasta Helvécio Marins Jr, diretor do filme “Querência”, denunciou neste sábado (9) a prisão política do ex-presidente Lula (PT) no Festival Internacional de Cinema de Berlim. 

LEIA TAMBÉM:

Lula recebe apoio de mais um vencedor do Prêmio Nobel da Paz

Durante a exibição de estreia de seu filme, o diretor pediu “Lula livre” e afirmou que a prisão do ex-presidente é “uma das mais absurdas do mundo”. 

“É uma vergonha para nós brasileiros. Lula é o maior e melhor presidente da história do Brasil”, afirmou. 

O diretor lembrou à plateia presente que está em curso uma campanha pela indicação de Lula ao Prêmio Nobel da Paz.  

“Peço para que todo mundo apoie”, disse.  

O cineasta citou ainda, em seu discurso, a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada no ano passado no Rio de Janeiro. 

“Marielle presente!”, exclamou. 

Assista: 

#LulaLivre no Festival Internacional de Cinema de Berlim

A prisão política, arbitrária e sem provas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciada nesta sexta-feira (8) pelo diretor mineiro Helvécio Marins Jr, durante a estreia internacional do seu filme Querência, que integra o 69º Festival Internacional de Cinema de Berlim, o Berlinale. Vestido com uma camisa em homenagem ao ex-presidente, Helvécio falou sobre a indicação de Lula ao prêmio Nobel da Paz e protestou em defesa da liberdade do maior presidente que o Brasil já teve. #LulaLivreJá

Posted by Instituto Lula on Saturday, February 9, 2019

Com informações da Revista Fórum