Bolsonaro faz governo ‘caótico, fraco e bizarro’, avalia Folha

Compartilhe agora!

A Folha não economiza adjetivos analisar como o presidente Jair Bolsonaro (PSL) saiu da crise após a demissão do ministro Gustavo Bebianno, ex-presidente do PSL: ‘caótico, fraco e bizarro’, avalia neste sábado (16).

Para o jornalão paulistano, ao agir com o fígado, o governo decretou o fim da reforma da previdência e armou contra si o capital negativo do Bebianno, conhecedor de segredos de campanha, contra Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM
SBT fura a Globo: Bebianno caiu

“Ele sabe muito, e indicou em suas mensagens pouco discretas na imprensa, que pode comprometer o presidente”, recorda o texto da Folha.

De acordo com a análise de Igor Gielow, o filho do presidente, Carlos Bolsonaro (PSL), pivô da crise, chamado de “pitbull” do pai, abriu a porta do inferno ao inaugurar um padrão “disruptivo” (interrupção brusca) com aliados no governo e no Congresso.

O Blog do Esmael registrou nesta sexta-feira (15) que a oposição já estuda pedir o impeachment de Jair Bolsonaro por inépcia para o cargo.

A crise que derrubou Gustavo Bebianno, ex-presidente do partido, teve início com a descoberta de candidaturas laranja no PSL para desviar recursos do fundo partidário. Ele não resistiu ao bombardeio de Carluxo e a intervenção dos militares não foi suficiente para segurá-lo na Secretaria-Geral da Presidência.

Compartilhe agora!