Bolsonaro anuncia “lava jato” para destruir a Educação

O presidente Bolsonaro anunciou nesta sexta-feira (15) a “lava jato da educação”, batizada com este nome pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez. A ideia do governo é lançar suspeitas sobre os programas como Prouni e Pronatec, além das instituições federais de ensino.

LEIA TAMBÉM: Oposição já ensaia pedir impeachment de Bolsonaro: ele não tem condições de governar

O ministro da Educação já se reuniu com os colegas da Justiça, Sergio Moro, e da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, além do advogado-geral da União, André Mendonça.

Eles assinaram um protocolo de intenções que tem como objetivo apurar indícios de corrupção no âmbito do MEC e autarquias nas gestões anteriores. O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, também participou da reunião.

Ou seja, o Estado policialesco, investigatório toma o lugar dos órgãos apropriados para esse tipo de tarefa, como o Tribunal de Contas da União ou o Ministério Público Federal. Sem falar no Parlamento.

Fica claro que Bolsonaro e seus aliados, atolados em denúncias de corrupção que vão de candidaturas laranjas a envolvimento com milícias, querem desviar o foco do imobilismo do governo. É mais fácil acusar do que fazer.

Um dos primeiros alvos deve ser o ex-ministro da educação Fernando Haddad (PT). Além, é claro, os ex-presidentes Lula e Dilma.

Alguém precisa avisar Bolsoanro que a velha mídia já vem tentando destruir a imagem de Lula há décadas. E se ele não estivesse preso, teria sido eleito presidente.

Com informações da Agência Brasil. 

Comentários encerrados.