Por Esmael Morais

Base de Bolsonaro na Câmara à beira de uma rebelião

Publicado em 11/02/2019

A prioridade da agenda econômica sobre as pautas conservadoras no congresso está deixando a base aliada do presidente Bolsonaro (PSL) bastante insatisfeita.

Para começar, ainda não há pauta nenhuma. A internação do presidente, e a insatisfação com o vice, General Mourão (PRTB), colocou o país em compasso de espera.

LEIA TAMBÉM: Agronegócio estuda pedir a cabeça de Paulo Guedes, o ministro da Economia de Bolsonaro

Mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), já adiantou que a “reforma” da previdência tem prioridade, mas ainda espera a recuperação do capitão para ganhar forma.

Essa prioridade que está deixando a base, em especial a bancada da Bíblia, insatisfeita. As pautas conservadoras estão sendo deixadas para trás.

“Escola sem Partido”, “Estatuto da Família”, “Estatuto do Nascituro” e a famigerada “Ideologia de Gênero” são as pautas desejadas pela porção mais conservadora e atrasada do parlamento.

Mas são pautas difíceis, que vão encontrar fortes resistências dos deputados mais progressistas. Basta ver a verdadeira guerra da “Escola sem Partido” que fez com que o projeto antigo fosse arquivado no final do ano passado.

Resumindo, o atraso que esse governo deseja pode acabar sendo derrotado pela insatisfação da sua própria base.