Por Esmael Morais

Agenda de Paulo Guedes enfrenta forte resistência da ‘bancada do boi’ no Congresso

Publicado em 19/02/2019


A agenda ultraliberal do ministro da Economia, Paulo Guedes, tem enfrentado uma forte resistência da poderosa bancada ruralista no Congresso Nacional. Importante aliada do presidente Jair Bolsonaro (PSL) desde a campanha eleitoral, deputados da ‘bancada do boi’, como também é conhecida, contestam as propostas do ministro da Economia para o setor, como o fim de créditos subsidiados para grandes produtores.

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que segundo estimativas reúne mais de 200 deputados, rejeita o pacote de medidas apresentada pela equipe econômica, que propõe desde o corte de subsídios a linhas de crédito rural do Plano Safra até a cobrança previdenciária sobre exportações agropecuárias.

A atual ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que foi a última presidente da FPA, também manifesta desconforto com as propostas de Guedes e tem agido no sentido de segurar as apreensões do setor agropecuário.

“O Paulo Guedes é apenas um ministro entre tantos outros e com certeza vai ter que ouvir o setor. A FPA não quer criar qualquer tipo de atrito, mas queremos um tipo de relacionamento com o governo que assegure no mínimo previsibilidade”, declarou ao jornal Valor o futuro líder da bancada ruralista, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), que toma posse hoje junto com a nova diretoria da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA).

Enquanto enfrenta a resistência do “andar de cima” da Agricultura, Paulo Guedes quer passar o trator nos pequenos e médios produtores e exterminar a agricultura familiar.

*Com informações do Valor