Sindicatos vão a Brasília exigir veto à ‘entrega’ da Embraer para a Boeing

Dirigentes dos sindicatos de metalúrgicos de São José dos Campos, Araraquara e Botucatu estarão em Brasília na segunda-feira (14) para procurar o Governo Federal e insistir para que a venda da Embraer à norte-americana Boeing seja vetada.  Ontem (sexta), a Presidência da República anunciou, em nota oficial, que não vetará a transação comercial entre as duas empresas.

Os sindicatos irão aos ministérios da Defesa e da Casa Civil para expor as razões pelas quais o governo federal deveria vetar a venda da Embraer. Entre as consequências da operação está a entrega de 50 anos de desenvolvimento tecnológico num setor estratégico para o país e a ameaça de fechamento de postos de trabalho. Hoje a Embraer emprega 16 mil trabalhadores no Brasil.

Além disso, o acordo traz características que não são de uma joint venture, mas de venda da empresa brasileira. Com isso, coloca-se em risco a soberania nacional.

O próprio presidente Jair Bolsonaro já havia feito ressalvas em relação à brecha do acordo que permitirá a venda dos 20% restantes da Embraer dentro de cinco anos. Mais uma vez, ele recuou.

“Em cinco anos termina o período de maturação das vendas do jato E2. Caso a Boeing decida tirar a aeronave do mercado e não trouxer novos projetos para o Brasil, a Embraer inevitavelmente será fechada”, afirma o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos Herbert Claro.

Comentários encerrados.