Polícia Federal procura Battisti nos confins da Amazônia

A Polícia Federal, depois de tentar encontrar Cesare Battisti nas embaixadas da Bolívia e Venezuela, concentra esforços de inteligência e de busca do ativista na vastidão do território amazônico.

Battisti está foragido desde que o governo golpista de Temer decretou sua extradição para a Itália.

O ativista italiano foi condenado por quatro assassinatos ocorridos entre 1977 e 1979 durante as ações do grupo de extrema-esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC).

As acusações de que Battisti participou dos assassinatos partiram de seu ex-companheiro Pietro Mutti, que estava preso e optou por pela delação premiada.  Battisti nega que cometeu os crimes.

As ações do PAC, das Brigadas Vermelhas e de outros grupos, ocorreram no período conhecido como “anos de chumbo” na Itália, que foi marcado por uma forte repressão do Estado e do enfrentamento entre as organizações de esquerda e formações paramilitares de direita.

Comentários encerrados.