O império se volta contra Bolsonaro

Até os Estados Unidos se voltaram contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL), por infringir os direitos humanos e ameaçar os marcos civilizatórios.

A Comissão de Relações Exteriores da Câmara norte-americana, presidida pelo deputado democrata Eliot Engel, de Nova York, aprovou um pedido de censura contra as decisões e posições anunciadas pelo governo Bolsonaro prejudiciais à comunidade LGBT, grupos indígenas e afrodescendentes.

LEIA TAMBÉM
Governo Bolsonaro formaliza saída do pacto de migração da ONU

O pedido de censura realizado em carta foi encaminhado ao secretário de Estado, Mike Pompeo, que representou o presidente estadunidense Donald Trump na posse de Bolsonaro.

A Comissão relata que Bolsonaro dissera durante a campanha que “tinha orgulho de ser homofóbico” e que “preferia um filho morto a um filho gay”.

O documento aprovado pela Câmara dos Deputados dos EUA também critica a revisão das demarcações de terras indígenas e a transferência da secretaria que trata do tema para o Ministério da Agricultura.

Comentários encerrados.