Por Esmael Morais

MBL vai pra China

O Movimento Brasil Livre (MBL), tigrão com Gleisi Hoffmann, a quem “acusa” de socialista, vai liderar uma comitiva de parlamentares do PSL para a China comunista de Xi Jinping. O MBL é tão confuso quanto o presidente

Publicado em 12/01/2019

O Movimento Brasil Livre (MBL), tigrão com Gleisi Hoffmann, a quem “acusa” de socialista, vai liderar uma comitiva de parlamentares do PSL para a China comunista de Xi Jinping.

O MBL é tão confuso quanto o presidente Jair Bolsonaro (PSL) que até pouco tempo atrás elogiava a Venezuela de Hugo Chávez e Nicolás Maduro como exemplo de democracia para a América Latina.

LEIA TAMBÉM
Lava jato pode prender ex-presidentes após recesso do judiciário, diz Cappelli

Tirando a questão folclórica de Bolsonaro e do MBL, este último organiza uma comitiva de deputados do PSL para a China. Dentre os convidados para a viagem está a deputada federal eleita pelo Paraná, Aline Sleutje (FOTO).

A expedição ao país asiático está sendo organizada pelo empresário brasiliense Vinícius Aquino, detentor da marca Movimento Brasil Livre (MBL).

A viagem será entre os dias 14 e 25 deste mês e o grupo reunirá, além de Aline, a senadora eleita Soraya Thronicke, os deputados eleitos Carla Zambelli, Daniel Silveira, Tio Trutis, Felício Laterça, Bibo Nunes, Charlles Evangelista, Marcelo Freitas, Sargento Gurgel, (todos do PSL), e Luís Miranda (DEM), bem como o deputado Alexandre Serfiotis (PSD).

O MBL vai à China comunista sob a rubrica “estreitar laços comerciais e discutir assuntos como agronegócio, exportação, educação, segurança e tecnologia” com o Brasil.

Com informações do Diário dos Campos, de Ponta Grossa (PR).