Jair Bolsonaro reduz salário mínimo para R$ 998 no primeiro ato como presidente da República

Compartilhe agora!

A primeira frustração a gente nunca esquece. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) reduziu o salário mínimo previsto em R$ 1.006,00 para míseros R$ 998.

Para quem alimentava a esperança de que seria tudo “diferente”, sobretudo os trabalhadores, esta redução no poder de compra significa uma ducha de água fria no “otimismo” dos brasileiros.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro elege enfrentar o socialismo e esquece o combate ao desemprego

O mínimo atual é de R$ 954,00, mas no projeto de orçamento de Michel Temer (MDB) a previsão era de que ultrapassasse a barreira dos mil reais (R$ 1.006).

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese) afirma que o salário mínimo deveria valer R$ 4 mil.

O Dieese leva em conta no cálculo as necessidades básicas de um trabalhador, conforme estabelece a Constituição Federal: moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social.

Bolsonaro publicou ontem mesmo (dia da posse) o decreto fixando o salário mínimo em R$ 998.

Não foi por falta de aviso.

É bom o trabalhador já ir “se acostumando” com as perdas de direitos…

Compartilhe agora!