Por Esmael Morais

EUA ‘autorizam’ Guaidó controlar ativos em nome do governo da Venezuela

Publicado em 29/01/2019

Terminal da CITGO, subsidiária da PDVSA nos EUA, bens e ativos sequestrados

O Departamento de Estado dos EUA autorizou o líder da oposição golpista venezuelana, Juan Guaidó, a controlar ativos em nome do governo do país. O objetivo do sequestro dos bens do povo da Venezuela é o financiamento da insurreição contra o governo constitucional de Nicolás Maduro.

Washington certificou a autoridade de Juan Guaidó para controlar alguns ativos mantidos pelo FED (banco central dos EUA) ou por quaisquer outros bancos segurados pelos Estados Unidos.

“Esta certificação ajudará o governo legítimo da Venezuela a proteger esses bens para o benefício do povo venezuelano”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Roberto Palladino, em um comunicado.

Na última segunda-feira (28), o assessor de segurança nacional dos EUA, John Bolton, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, realizaram uma entrevista coletiva para anunciar que os EUA bloquearam todos os ativos da estatal venezuelana PDVSA sob sua jurisdição e proibiram acordos com a empresa.

Em 23 de janeiro, o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino da Venezuela. Os EUA e uma série de outros países, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela. A Rússia e vários outros países, incluindo a China, Cuba, e México apoiam a permanência de Maduro.