Bolsonaro e PCdoB, juntos por Maia, causa azia na direita e dor de barriga na esquerda

O PCdoB é um partido pequeno, mas tem causado uma dantesca confusão na eleição para a Câmara dos Deputados. O anúncio do apoio dos comunistas à reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) causa azia na direita e tremenda dor de barriga em setores da esquerda.

O jornalista Ricardo Cappelli, secretário de Estado do Maranhão em Brasília, colunista deste Blog do Esmael, é um dos próceres — ao lado do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), deste “socialismo renovado” que autoriza o apoio a Maia.

LEIA TAMBÉM
Lula “mita” no desafio dos 10 anos e sobra para Bolsonaro; confira

“Me causa espanto ver setores da mídia que se diz alternativa, diferente da mídia tradicional, se portando como a Veja ou Bolsonaro na propagação de Fake News para atacar o PCdoB”, reclamou Cappelli ao dizer que blogs do campo de esquerda distorceram opinião de Manuela D’Ávila, candidata à vice na chapa de Fernando Haddad (PT).

“Manuela discordou da decisão? Onde? Ela disse lamentar a divisão da oposição. A manipulação é grosseira. Lamentável”, contestou, ao garantir que há “unidade” no PCdoB em torno de Rodrigo Maia.

O senador Roberto Requião (MDB-PR) é um dos críticos da “Santa Aliança” da esquerda com Bolsonaro pela reeleição de Maia. “É incrível como a teoria da “negação da negação” seja reduzida a uma luta por “boquinhas” no congresso”, disparou o emedebista.

Cappelli deu o troco no senador paranaense: “O que você acha de Requião posar de progressista e nunca ter largado o MDB dos seus companheiros Cunha e Sarney?”

Para Requião, o PCdoB ao defender com unhas e dentes a Santa Aliança entre Bolsonaro e esquerda mostra-se uma agremiação vincada aos ideais de Marx, não ao Karl, mas aos de Groucho Marx.

“Seguidores de Marx fazem aliança com Rodrigo Maia na Câmara. Groucho Marx”, ironizou, ao se referir ao comediante e ator estadunidense.

Se o apoio a Maia gera controvérsias e dor de barriga na esquerda, na direita causa uma azia danada. Um dos mais afetados pela Santa Aliança entre Bolsonaro, esquerda e o presidente da Câmara é o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP). O coordenador do MBL (Movimento Brasil Livre) quer porque quer ser presidente da Casa, portanto é contra o ‘abominável’ entendimento ora liderado pelo PCdoB.

O ex-ministro Tarso Genro (PT) afirmou ontem (16) que o apoio do PCdoB à reeleição de Rodrigo Maia favorece o presidente Jair Bolsonaro.

“Li com respeito o artigo do querido companheiro Orlando e prestei atenção nas análises do PCdoB, sobre este apoio. Não vi nenhum argumento consistente para mudar de opinião: o apoio favorece Bolsonaro, não a oposição democrática. Acho que o PCdoB erra gravemente no caso”, escreveu Tarso.

Haja Engov!

Comentários encerrados.