Por Esmael Morais

Aumenta a percepção de discriminação no país

Publicado em 15/01/2019

O instituto Datafolha indica que 30% dos brasileiros já sentiu discriminação de classe. Também aumentou o percentual de pessoas que dizem ter sofrido preconceito de cor, orientação sexual, religião ou gênero.

O preconceito de classe é mais sentido no Sudeste do país (35%) e menos no Nordeste (25%). Também é maior em cidades grandes que pequenas (34% nas cidades com mais de 500 mil habitantes e 21% nas com menos de 50 mil).

Segundo a Folha de S. Paulo, o presidente Bolsonaro (PSL) disse na campanha que “tudo é coitadismo” no Brasil.

“Coitado do negro, coitada da mulher, coitado do gay, coitado do nordestino, coitado do piauiense. Tudo é coitadismo no Brasil, nós vamos acabar com isso”.

Justamente por isso, os eleitores do “coiso” dizem sofrer menos preconceito do que os eleitores de Fernando Haddad (PT).

26% dos eleitores de Bolsonaro disseram já ter sofrido discriminação por classe social e 18% por racismo. Entre os eleitores de Haddad (PT), 37% declararam terem sido vítimas de preconceito de classe, e 27% de racismo.

Com informações da Folha de S. Paulo.