Por Esmael Morais

Risco Bolsonaro: Dólar sobe e bolsa cai

A diplomação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), nesta segunda (10), foi marcada pela alta do dólar e queda na bolsa. A cotação da moeda norte-americana teve a quinta

Publicado em 10/12/2018

A diplomação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), nesta segunda (10), foi marcada pela alta do dólar e queda na bolsa.

A cotação da moeda norte-americana teve a quinta alta consecutiva, encerrando o primeiro pregão da semana com valorização de 0,64%, cotada a R$ 3,920 para venda. A alta de hoje (10) é a maior registrada desde 2 de outubro passado, quando a moeda fechou em R$ 3,933.

LEIA TAMBÉM
Coligação de Haddad pede cassação de Bolsonaro

O dólar aumentou 0,89% com a série de altas na semana passada, após o Banco Central ter efetuado leilões extraordinários de venda futura da moeda, com compromisso de recompra, para conter a valorização da moeda.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), começou a semana em baixa de 2,5%, com 85.914 pontos. As ações das grandes companhias, chamadas de blue chip, acompanharam a queda, com Petrobras encerrando em baixa de 5,05%, Bradesco com –1,82%, Vale com desvalorização de 1,74% e Itau com – 2,42%.

O mercado já trabalha com o risco Bozo, isto é, risco Bolsonaro. O presidente eleito chegará ao Palácio do Planalto com a imagem maculada e vulnerável a pedidos de impeachment por corrupção. Vide o caso Coaf envolvendo o ex-motorista da família.

A instabilidade — ou risco Bozo — lembra muito o governo neoliberal de Mauricio Macri, da Argentina, cuja economia está destroçada e cresceu aos milhões o número de los hermanos que vivem abaixo da linha da miséria.

Com informações da Agência Brasil