PT adota ajuste fiscal para enfrentar tempos de ‘vacas magras’


A direção executiva do Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou nesta quinta-feira (13) um comunicado no site oficial de legenda sobre a adoção de medidas de ajustes de contas, que implicam na redução de gastos em viagens e hospedagens de dirigentes, dos custos operacionais para o funcionamento do aparelho partidário e medidas para a quitação das dívidas da última campanha eleitoral. Além disso, está prevista para o mês de janeiro de 2019 uma revisão de salários dos funcionários e dos quadros dirigentes profissionalizados pelo partido.

O “ajuste fiscal petista”, como a militância batizou as medidas, também estimula a campanha de arrecadação militante, venda de materiais e ressuscita a popular “vaquinha” para cobrir os custos da atividade partidária.

Segundo um dirigente do PT do Paraná, ouvido pelo blog, “as medidas de contenção foram adotadas para enfrentar um período de “vacas magras”, mas não irão impactar nas frentes de luta do partido, na Campanha Lula Livre e na resistência ao governo da extrema-direita de Bolsonaro”.

Por sua vez, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, postou no Twitter que as medidas contribuirão para uma maior transparência e controle da gestão financeira do partido, com a adoção do chamado Compliance.”Do limão, uma limonada, aproveitaremos o momento de readequação de nossas finanças p/ adotar conjunto de regras de controle interno e externo, incluindo um sistema de conformidade, p/ aperfeiçoar as práticas de gestão financeira, conhecido como Compliance”, escreveu a dirigente petista.

Confira a íntegra do comunicado do PT:

COMUNICADO DA EXECUTIVA DO PT

1. Considerando que as reservas financeiras mantidas pelo PT esgotaram-se nas campanhas de 2018, em especial na campanha Presidencial;

2. Considerando que a campanha presidencial legou ao partido dívidas a serem quitadas, trazendo grande impacto nas finanças partidárias;

3. Considerando que o Partido subsiste praticamente do Fundo Partidário e que este tem se mostrado insuficiente para a manutenção de suas atividades após o término das reservas Financeiras;

4. Considerando que a partir de janeiro, o DN sofrerá sanções do TSE que acarretarão significativa redução dos recursos disponíveis;

Faz-se necessária a adoção de medidas para equilibrar as finanças, saldar as dívidas, manter as atividades partidárias e, assim, garantir a saúde financeira do partido, bem aplicando os recursos públicos do Fundo Partidário colocados à sua disposição.

Diante disso, a Presidência do PT em conjunto com a Secretaria de Finanças & Planejamento comunica a adoção das seguintes medidas :

1. Suspensão de viagens e hospedagens de dirigentes e funcionários durante os meses de dezembro e janeiro;

2. A partir de janeiro, será realizada revisão da folha de pagamento do Diretório Nacional, incluindo funcionários e dirigentes;

3. Redução de contratos de prestação de serviços continuados, a exemplo do que foi feito no início da gestão;

4.Redução de aluguéis com prédios e instalações que servem ao Partido;

5. Reforço das campanhas de arrecadação por crowdfunding e também para contribuição financeira de parlamentares, cargos comissionados e filiados(as).

6. Criação de um conjunto de regras de controle interno e externo com a implantação de compliance a ser apresentado na próxima reunião da CEN.

Gleisi Helena Hoffmann -Presidenta Nacional do PT

Emidio Pereira de Souza – Secretário Nacional de Finanças & Planejamento do PT

Comentários encerrados.