Por Esmael Morais

Pesquisador de Bolsonaro faz penitência no deserto de Dubai

Publicado em 18/12/2018

O dono da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, o pesquisador preferido de Bolsonaro, faz penitência no Deserto de Dubai.

Recentemente, Hidalgo admitiu em artigo publicado no Estadão que Jair Bolsonaro só foi eleito graças a um esquema dos institutos de pesquisa.

“O Tribunal Superior Eleitoral deveria, nesse sentido, adotar uma resolução proibindo a divulgação de pesquisas de intenção de voto no horário eleitoral gratuito como instrumento de marketing”, pregou o pesquisador depois do leite derramado, isto é, de Bolsonaro eleito.

A penitência pode ser feita por meio de jejum, orações, esmolas, vigílias, peregrinações que os fiéis oferecem a Deus como provas de que estão arrependidos dos seus pecados.

Além de Hidalgo, quem também levantou a hipótese de fraude na eleição presidencial foi Marcos Coimbra.

“A eleição de Jair Bolsonaro (PSL) foi uma fraude com repercussões globais”, destacou o dono do Vox Populi.