Paranoia com atentado marca preparação da posse de Bolsonaro


O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) prepara um mega esquema de segurança para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Segundo declaração do ministro-chefe do GSI, general Sérgio Etchegoyen, “nunca tivemos um candidato a presidente que tenha sofrido uma tentativa de assassinato. Isso, por si só, já justifica o reforço no esquema de segurança”. O militar não revelou o número de efetivos que será mobilizado para o evento.

O ministro esclareceu que “ainda existem ameaças” a Bolsonaro e que, até que elas sejam totalmente esclarecidas e disseminadas, “elas permanecem vivas” e sob atenção e cuidado da equipe de segurança. “Toda ameaça só deixa de ser ameaça quando está totalmente esclarecida”, observou.

O clima de paranoia com a segurança parece ser uma marca da assessoria e de parlamentares próximo ao futuro presidente. É comum a constante divulgação de supostos planos de atentados e a participação de agentes estrangeiros e organizações criminosas locais nos preparativos.

Resta saber, depois da posse, como o novo grupo governante vai conduzir os limites entre a fantasia e a realidade nesta área.

Comentários encerrados.