Por Esmael Morais

Moradores suspeitam de ação criminosa de PM em incêndio no Paraná

Publicado em 08/12/2018

Moradores da Ocupação 29 de Março, na região Sul de Curitiba, suspeitam de ação criminosa da PM em incêndio que destruiu cerca de 300 barracos na madrugada deste sábado (8).

Segundo relatos ainda não confirmados pelo poder público, dois moradores teriam morrido queimados no incêndio.

LEIA TAMBÉM
César Maia pode assumir mandato no Senado

De acordo com o Instituto Democracia Popular (IDP), que esteve no local esta manhã, moradores relataram que policiais estiveram no local ontem (7) e teriam avisado que ateariam fogo nas casas em represália pela morte de um colega de farda.

“Faz cinco anos que moro aqui. Na quinta de noite mataram um policial e eles entraram aqui ontem, na casa de várias famílias, batendo em várias pessoas, que não tem nada a ver, o pessoal não tem culpa do que aconteceu, de outras pessoas terem feito isso”, relatou um morador ao IDP.

O deputado Tadeu Veneri (PT), da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Paraná, acompanha as denúncias dos moradores da ocupação. Segundo o parlamentar, são gravíssimas denúncias de tortura de moradores por policiais o dia todo na sexta, de cárcere privado, crianças sem escola.

A Defensora Pública Olenka Lins esteve na ocupação e afirmou que a situação é desoladora e que é necessária uma força-tarefa para minimizar as perdas dessa população, e que a defensoria está em contato com órgãos do poder público para viabilizar o aluguel social ou realocação. Sobre as denúncias dos moradores contra os policiais, ela declarou: “As condutas criminosas eventualmente cometidas serão encaminhadas para o ministério público e o núcleo de direitos humanos da defensoria pública está encaminhando”.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, por meio de nota oficial, pediu que “as autoridades políticas do Estado e o comando da PM esclareçam o crime que vitimou um profissional da segurança pública e a morte até então confirmada de um morador da ocupação, além do incêndio que vitimou as centenas de famílias, evitando, com isso, que situações semelhantes venham a se repetir.”

Leia a íntegra da nota oficial do PT:

O incêndio de ocupações em Curitiba precisa ser esclarecido e inocentes não podem mais ser vítimas da ação policial

O incêndio de centenas de moradias em ocupações na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) na madrugada passada e a abordagem promovida pela Polícia Militar do Paraná (PM-PR) aos moradores da região ao longo da última sexta-feira (7) exibem uma realidade preocupante, que faz com que a sociedade exija esclarecimentos urgentes e informações confiáveis por parte das autoridades estaduais.

Combater o crime, principalmente o crime organizado, é dever da polícia e necessidade social. Para tanto, policiais devem estar preparados, principalmente com um sistema de inteligência que articule suas ações sem comprometer a integridade da população inocente nas comunidades onde vão atuar e a sua própria como agentes de segurança.

Infelizmente as famílias de trabalhadores, que perderam o pouco que tinham no incêndio ainda por esclarecer, tiveram direitos violados e se viram criminalizadas pela operação policial. Não há justificativa para ação repressiva e ameaçadora dessa natureza, que resulta em graves consequências. Não se pode admitir uma punição coletiva dos habitantes da comunidade.

Essas pessoas vivem o drama do déficit habitacional, da falta de moradia digna, que afeta milhares de famílias na Grande Curitiba, e são condicionadas a sobreviverem em condições degradantes por falta de uma política habitacional de interesse social, evidenciando o desprezo das autoridades locais por sua gente.

Esse abandono e desprezo são agravados com a violência e o terror de uma ação policial generalizada. É preciso que as autoridades políticas do Estado e o comando da PM esclareçam o crime que vitimou um profissional da segurança pública e a morte até então confirmada de um morador da ocupação, além do incêndio que vitimou as centenas de famílias, evitando, com isso, que situações semelhantes venham a se repetir.

Solidariedade aos moradores das ocupações da CIC que foram atingidas. Apoio aos movimentos sociais de luta pela moradia e às organizações de advogados, imprensa livre e a todas as pessoas que, desde a madrugada,têm se mobilizado em esclarecer, divulgar e prestar socorro e assistência às famílias das ocupações. Condolências às famílias do policial e do morador que foram assassinados.

Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Presidenta Nacional do PT