Marina critica ministro do Meio Ambiente de Bolsonaro

A candidata à presidência da República derrotada nas últimas eleições de outubro, Marina Silva (Rede), afirmou que o futuro ministro do Meio Ambiente de Jair Bolsonaro (PSL) pretende adotar uma agenda de retrocessos na área ambiental, que será subordinada aos interesses do agronegócio. A afirmação foi feita nesta quarta-feira (12) em entrevista ao site Uol.

LEIA TAMBÉM:
Indicado de Bolsonaro para o Ministério do Meio Ambiente é réu em ação ambiental

Segundo Marina, a indicação do advogado Ricardo Salles para o Ministério do Meio Ambiente é “uma grande ameaça à agenda da justiça social e da proteção ambiental”.

Para a ex-ministra, Salles está mais preocupado com o agronegócio do que com a agenda ambiental.

“Cada palavra que ele profere demonstra mais preocupação com o Ministério da Agricultura do que com o próprio ministério que ele vai liderar”, disse a ex-candidata da Rede.

“Você ter um ministro que não tem um compromisso forte com a agenda ambiental é quase como ter alguém que vai cumprir a liquidação do ministério”, completou.

Por fim, Marina afirmou que a proteção ao meio ambiente deve estar acima de questões ideológicas.

“A proteção ao meio ambiente não é uma questão de esquerda, de direita, nem de cima, nem de baixo. É um desafio para a humanidade”, concluiu.