Magistrados não devem expressar opiniões pessoais em redes sociais, diz Toffoli


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, afirmou nesta quarta-feira (12) que os magistrados brasileiros não devem expressar opiniões e desejos pessoais publicamente, em especial nas redes sociais.

LEIA TAMBÉM:
Novo presidente do TCU agradece Lula na posse em frente a Moro e Paulo Guedes

A manifestação do ministro ocorre um dia depois de o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidido por Toffoli, ter arquivado, por unanimidade, 12 procedimentos que apuravam manifestações feitas em redes sociais por juízes durante as eleições de outubro.

O arquivamento foi realizado sob a justificativa de que a norma que disciplina a manifestação de magistrados nas redes sociais (provimento 71/2018), publicada em junho, é muito recente, motivo pelo qual seria “possível que no pleito eleitoral do ano em curso alguns juízes não tenham compreendido o alcance das suas limitações quanto a manifestações em redes sociais”, disse o corregedor-nacional de Justiça, Humberto Martins, em seu voto.

Toffoli anunciou que um seminário deve ser realizado no início de 2019 para orientar os magistrados sobre a conduta em redes sociais.

Com informações da Agência Brasil

Comentários encerrados.