Justiça condena Haddad a pagar indenização de R$ 79 mil a Edir Macedo

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad foi condenado pela Justiça por chamar de “fundamentalista charlatão, com fome de dinheiro” o bispo Edir Macedo. O petista terá que pagar indenização de R$ 79 mil ao bispo da Igreja Universal do Reino de Deus.

LEIA TAMBÉM:
Caso Bolsonaro: ‘Não era só Cuba que ficava com parte de salário dos funcionários’

Em entrevista coletiva à imprensa, o então candidato do PT à presidência da República disse: “Sabe o que é o Bolsonaro? Vou dizer pra vocês o que é o Bolsonaro. Ele é o casamento do neoliberalismo desalmado representado pelo Paulo Guedes, que corta direitos trabalhistas e sociais, com o fundamentalismo charlatão do Edir Macedo. Isso que é o Bolsonaro. Sabe o que está por trás dessa aliança? Chama em latim (sic): auri sacra fames, fome de dinheiro. Só pensam em dinheiro’ (Paulo Guedes e Edir Macedo).”

A fala foi feita após manifestação de apoio do líder da Universal a Jair Bolsonaro (PSL), adversário de Haddad na corrida ao Palácio do Planalto.

Na sentença, juiz Marco Antonio Botto Muscari afirma que o petista é um “conhecedor privilegiado das normas jurídicas”. “Estudou na mais tradicional faculdade de Direito brasileira, o réu obviamente sabe que acusações passadas de ‘charlatanismo, estelionato e curandeirismo’, seguidas de absolvição, apenas reforçam a presunção constitucional de inocência do bispo Macedo. Ou será que Fernando Haddad se julga no direito de, após decreto absolutório, insistir em que o líder religioso pratica, sim, ‘charlatanismo’?”

A defesa de Haddad afirma que vai recorrer da decisão do juiz.

“O Edir é um líder que entrou no debate presidencial. Ele não pode se sentir ofendido por uma crítica política”, disse o advogado do ex-prefeito, Igor Tamasauskas.

Com informações da Folha

Comentários encerrados.