“Eu achava que ia ser ministro e não fui”, lamenta Magno Malta


O senador Magno Malta (PR-ES) foi escanteado do futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL). “Eu achava que ia ser ministro e não fui”, declarou o senador capixaba em entrevista ao site The Intercept Brasil. Magno Malta que se isolou nesta semana em um sítio da família, disse também que vai abandonar a política. Na entrevista ele manifestou uma ponta de amargura e decepção: “Você vê muita gente que falava mal dele, não pedia voto, e agora tá aí, se aproximando. A autoridade é dele, ele é o presidente desse país”, disse.

Ao ser perguntado se ficou arrependido de ter apoiado Bolsonaro, Magno Malta afirmou que apoiou o presidente eleito “pelo Brasil” e “não para ter cargo no governo”. Como integrante da campanha do presidente eleito, Malta articulou o apoio do Pastor Silas Malafaia à campanha de Bolsonaro. Ao final da apuração das eleições, Malta conduziu uma oração em rede nacional em agradecimento pela vitória do ex-capitão.

Segundo fontes próximas da entourage de Bolsonaro, o senador sofre restrições de militares de alta patentes, que compõem o núcleo político do futuro governo.

Sem mandato, Magno Malta promete “pendurar as chuteiras” da atividade política, para usar um jargão do mundo do futebol.

Comentários encerrados.